Apanhar toda a sujidade.

Primeiro Maior Dramaturgo da América

Quando Eugene O’Neill começou a escrever para o palco no início do século XX, o teatro americano foi dominado por vaudeville e melodramas românticos. Influenciado por Strindberg, Ibsen e outros dramaturgos europeus, O’Neill prometeu criar um teatro na América, despojado de falso sentimentalismo, que explorasse os agitamentos mais profundos do espírito humano. Em 1914, ele escreveu: “Eu quero ser um artista ou nada”

Durante os anos 20, ele recebeu o Prêmio Pulitzer por três de suas peças – além do Horizonte, “Anna Christie” e “Strange Interlude”. Outros sucessos populares, incluindo O Imperador Jones, O Símio Cabeludo, O Desejo Sob os Elmos, O Grande Deus Marrom, e O Luto Torna-se Electra, trouxeram-lhe aclamação internacional. Em 1936, ele recebeu o Prêmio Nobel de Literatura – o único dramaturgo americano a ser tão honrado.

O’Neill experimentou novas técnicas dramáticas e ousou abordar questões tão controversas como o casamento inter-racial, a igualdade dos sexos, o poder da mente inconsciente e o domínio do materialismo sobre a alma americana. Em cada uma de suas peças, ele procurou revelar as misteriosas forças “por trás da vida” que moldam o destino humano.

Três de suas obras finais, escritas na Tao House, se sobrepõem às outras: The Iceman Cometh, Long Day’s Journey into Night, e A Moon for the Misbegotten. Estas peças autobiográficas retratam, com “realismo fiel”, as figuras assombrosas de seu pai, mãe e irmão, que se apresentam no fundo da maioria de suas outras peças. Ele recebeu um quarto Prêmio Pulitzer, a título póstumo, em 1956 por Long Day’s Journey into Night.

Em uma carreira que se estendeu por três décadas, Eugene O’Neill mudou o teatro americano para sempre.

Bibliografia de Peças

1. A Wife for a Life (1913)
2. The Web (1913)
3. Thirst (1913)
4. Warnings (1913)
5. O desinteresse (1913)
6. Névoa (1914)
7. Pão e manteiga (1914)
8. O homem do filme (1914)
9. Bound East for Cardiff (1914)
10. O Aborto (1914)
11. Servidão (1914)
12. O Atirador furtivo (1915)
13. A Equação Pessoal (1915)
14. Antes do café da manhã (1916)
15. Now I Ask You (1917)
16. Na Zona (1917)
17. Ile (1917)
18. The Long Voyage Home (1917)
19. A Lua das Abelhas Caribenhas (1917)
20. A Corda (1918)
21. Beyond the Horizon (1918) – Vencedor do Prêmio Pulitzer, 1920
22. Choque de concha (1918)
23. The Dreamy Kid (1918)
24. Onde a Cruz é feita (1918)
25. O Exorcismo (1919)
26. A Palha (1919)
27. Chris Christopherson (1919)
28. O Ouro (1920)
29. Anna Christie (1920) – Vencedora do Prémio Pulitzer, 1922
30. O Imperador Jones (1920)
31. Diff’rent (1920)
32. The First Man (1921)
33. The Hairy Ape (1921)
34. A Fonte (1923)
35. O Soldado (1923)
36. All God’s Chillun Got Wings (1924)
37. Desejo Sob os Elmos (1924)
38. Marco Millions (1925)
39. O Grande Deus Marrom (1926)
40. Lázaro riu (1926)
41. Strange Interlude (1928) – Vencedor do Prémio Pulitzer, 1928
42. Dínamo (1929)
43. Luto se torna Electra (1931)
44. Ah, Selvagem! (1933)
45. Dias Sem Fim (1933)
46. Um Toque do Poeta (1935-1942)
47. More Stately Mansions (1936-1939), Unfinished
—- 1937, Eugene e Carlotta mudam-se para Tao House —-
48. The Iceman Cometh (1939)
49. Long Day’s Journey into Night (1941) – Vencedor do Prémio Pulitzer, 1957
50. Hughie (1941)
51. A Moon for the Misbegotten (1943)

Online Resources

eOneill.com – Um Arquivo Eletrônico O’Neill incluindo texto completo de peças selecionadas, arquivo de produção das obras de O’Neill e outros recursos acadêmicos.
Wikipedia – A entrada da Wikipedia para Eugene O’Neill
Eugene O’Neill Society – Uma organização académica e profissional sem fins lucrativos dedicada à promoção e estudo da vida e obra de Eugene O’Neill e do drama e teatro para o qual o seu trabalho foi, em grande parte, o instigador e modelo.
The Eugene O’Neill Theater Center – Fundado em 1964 por George C. White, em homenagem ao único dramaturgo ganhador do Prêmio Nobel da América, o O’Neill é a sede da National Playwrights Conference, National Music Theater Conference, National Theater Institute, e muito mais. O Centro O’Neill também administra e opera o Monte Cristo Cottage, a casa de infância de O’Neill, localizada na vizinha New London.

Deixe um comentário